Assine a Newsletter

Sucesso! Verifique a sua caixa de E-Mail

Para completar a Assinatura, clique no link de confirmação na sua caixa de correio. Se não chegar em 3 minutos, verifique por favor a sua pasta de Spam.

Ok, Obrigado
Portugal pretende contratar 200 professores imigrantes
Ainda não foram revelados detalhes da medida. Foto: Filipe Pinto / Global Imagens

Portugal pretende contratar 200 professores imigrantes

A previsão é que sejam preenchidas 200 vagas com professores estrangeiros para o ano letivo que começa em setembro deste ano.

DN Brasil profile image
por DN Brasil

Texto: Amanda Lima

Contratar docentes imigrantes em Portugal é uma das alternativas do Governo para suprir a falta de professores no sistema de educação do país. A medida foi anunciada hoje e faz parte de um plano "Aulas sem interrupções para um futuro com sucesso", com uma série de ações para o setor da educação. A previsão é que sejam preenchidas 200 vagas com professores estrangeiros para o ano letivo que começa em setembro deste ano.

Para promover a contratação, uma das iniciativas será “simplificar os procedimentos” do reconhecimento dos diplomas de forma mais facilitada. Segundo o ministro da Educação, Ciência e Inovação (MECI), Fernando Alexandre, a medida é “vantajosa” e “tem um papel importante de integração”, além de ajudar na falta de mão de obra qualificada nesta área.

“Temos muitos imigrantes diplomados, que eram professores no seu país de origem”, disse. O ministro citou que será mantido o “rigor no reconhecimento das habilitações”, mas que o Governo “precisa ser mais aberto a estas pessoas”. Fernando Alexandre destacou que, hoje, existem em Portugal “imigrantes em funções para os quais são sobrequalificados”. No entanto, ainda não foram dados detalhes, nem uma data para que isso aconteça. 

Atualmente, o processo de validação dos diplomas brasileiros é bastante burocrático e pode custar até 850 euros. No caso do curso de Pedagogia, por exemplo, é necessário submeter o pedido à uma universidade portuguesa que tenha uma grade curricular semelhante. O candidato ou candidata precisa enviar uma série de documentos e pagar taxas que variam conforme a universidade ou curso. O prazo legal de análise é de 90 dias. No entanto, são comuns relatos de profissionais que estão há mais tempo esperando. 

O Governo possui um site com perguntas e respostas sobre a questão, que pode ser conferido aqui

amanda.lima@globalmediagroup.pt

DN Brasil profile image
por DN Brasil

Subscreva a Newsletter

Sucesso! Verifique a sua caixa de E-Mail

To complete Subscribe, click the confirmation link in your inbox. If it doesn’t arrive within 3 minutes, check your spam folder.

Ok, Obrigado

Ler Mais